Governo já convocou mais de 3.500 professores

9 de dezembro de 2019 - 17:27

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação, as convocações ocorrem de acordo com a necessidade de professores, das vagas abertas em decorrência de aposentadorias e respeitando o prazo de vigência do concurso

 

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) informou nesta quarta-feira, 08, aos professores aprovados no último concurso público para o magistério, que as convocações estão sendo feitas à medida que as vagas são disponibilizadas. Os docentes estiveram na manhã de hoje na secretaria para buscar mais informações sobre o concurso.

Desde julho de 2012 até agora, mais de 3.500 professores foram nomeados, como resultado do concurso para o Magistério Estadual, promovido pelo Governo de Sergipe, por meio das Secretarias de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) e de Educação (Seed). Considerando que a previsão inicial era de 1,7 mil vagas, as convocações superaram todas as expectativas. Somente este ano, foram realizadas cinco convocações.

De acordo com o secretário Jorge Carvalho, que recebeu os professores aprovados, as convocações ocorrem de acordo com a necessidade de professores, das vagas abertas em decorrência de aposentadorias e respeitando o prazo de vigência do concurso.

Carvalho frisou que está sempre disposto ao diálogo e sugeriu que fosse formada uma comissão para que “estes e outros temas fossem discutidos e melhor esclarecidos”. A reunião ficou marcada para a próxima sexta-feira, 10, no gabinete do secretário, às 8h30.

“Estou à frente da pasta da Educação há 90 dias e procuro trabalhar com transparência e honestidade. Se existem vagas que não foram preenchidas ou ocupadas por professores de disciplinas que não correspondem à sua formação, estes casos serão avaliados pela equipe técnica da Seed e corrigidas as distorções para a viabilização das convocações”, declarou Jorge Carvalho.

Em relação à municipalização do ensino fundamental, Jorge Carvalho esclareceu que em nenhum momento propôs que a rede pública estadual de educação deixasse de oferecer essa modalidade de ensino à sociedade.

“Apoio a criação de um compartilhamento entre a educação pública municipal e estadual, a fim de que escolas da rede municipal aumentem o número de vagas para o ensino fundamental, com o intuito de garantir que o aluno ingresse no ensino médio e conclua a educação básica bem preparado”, frisou o secretário.